skip to Main Content
Inca Lista Agentes Cancerígenos Relacionados Ao Trabalho

Inca lista agentes cancerígenos relacionados ao trabalho

Documento identifica 38 partes do corpo que podem desenvolver câncer

 

Os principais tipos de câncer relacionados ao trabalho são os de pulmão, pele, bexiga e os linfomas. A lista faz parte de uma publicação do Inca, Instituto Nacional de Câncer, elaborada para ajudar os profissionais de saúde a identificar os agentes químicos, físicos e biológicos presentes no ambiente ocupacional, que contribuem para o desenvolvimento da doença.

O documento identifica 38 partes do corpo que podem desenvolver câncer. O número é o dobro do catalogado em um livro que trata desse assunto, organizado também pelo Inca, em 2012.

As áreas mapeadas, incluem, entre outros, o câncer de pulmão relacionado à exposição ao amianto; cânceres de ovário, laringe, faringe, de glândulas salivares e de fígado.

Segundo a epidemiologista do Inca, Ubirani Otero, a prevenção aos tumores relacionados ao ambiente de trabalho começa pela divulgação máxima de informações sobre o assunto. Entre as dificuldades de associar a causa à doença, Ubirani destaca o fato de que, em muito casos, os sintomas só se manifestam anos após a exposição prolongada aos agentes que oferecem risco à saúde.

De uma forma geral, os cânceres atribuídos a fatores ocupacionais variam de 5 a 8% do total de casos. Mas, existem determinados tipos, como o de pulmão, em que essa taxa é bem maior, girando em torno dos 20%. Outro dado importante é que quase um quarto desses casos poderiam ser evitados se não houvesse a exposição a determinados agentes presentes nos ambientes de trabalho.

Entre essas substâncias, está o benzeno, solvente utilizado na gasolina e que afeta, em especial, os trabalhadores de postos de combustíveis. No ano passado, o Inca alertou para os perigos relacionados ao composto orgânico e a necessidade da adoção de medidas para reduzir a exposição, e os consequentes efeitos no organismo.

Além dos agentes químicos, os hábitos de consumo e comportamento, assim como o ambiente social, também estão listados na publicação como fatores de risco, o que inclui a alimentação, o uso de medicamentos, tabagismo, consumo de álcool, sedentarismo e obesidade.

Dados da Organização Internacional do Trabalho apontam que a cada ano, no mundo, são contabilizadas mais de 600 mil mortes decorrentes de câncer associados ao trabalho. O número representa o dobro dos óbitos relacionados aos acidentes laborais.

Fonte:   

Back To Top