skip to Main Content
‘Covid-19 Não Deve Interromper Tratamento Contra O Câncer’, Orienta Médico

‘Covid-19 não deve interromper tratamento contra o câncer’, orienta médico

Adiamento de primeiras consultas, cirurgias ou quimioterapia reduz chances de cura da doença

A população ainda tem muitas dúvidas sobre procedimentos que devem ser adotados com o novo Coronavírus (Covid-19) para os pacientes com tumores cancerígenos. “O tratamento do câncer é uma prioridade e não deve ser interrompido”, orienta o médico oncologista Ramon Andrade de Mello.

O especialista reforça que a Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC) e a Sociedade Portuguesa de Oncologia (SPO) recomendam que os tratamentos não devem ser interrompidos. “Salvo alguns casos, que devem ser avaliados pelos médicos responsáveis pelos pacientes. O risco do câncer progredir, ou a pessoa vir a falecer de um câncer, é bem maior do que o paciente falecer pelo novo coronavírus. O paciente que tem câncer deve se preocupar com o tratamento oncológico”, esclarece Mello.

Entre outras recomendações, a SBOC aconselha que as pessoas com qualquer sintoma de gripe, e que tiverem contato com terceiro na mesma condição ou com diagnóstico confirmado de Covid-19, devem evitar, ao máximo, aproximar-se de pacientes com câncer.

“Aqueles que têm diagnóstico de câncer e estão em tratamento, embora sem uma recomendação anterior, tenho orientado aos meus pacientes que utilizem máscaras para evitar o contágio ou, em alguns casos, consultadas por telemedicina”, diz. Ele lembra que esse procedimento por meio de whatsapp, Skype ou zoom foi aprovado pelo Conselho Federal de Medicina (CFM). Os familiares desses pacientes também precisam utilizar máscaras porque eles podem estar com o vírus e não apresentar sintomas, além de outros cuidados recomendados”.

O especialista reforça que os pacientes em processo de diagnóstico do câncer não devem adiar as consultas. Ele lembra que o tratamento curativo do tumor ocorre na fase inicial da doença. “Se você tem um paciente aguardando um diagnóstico ou uma cirurgia de câncer, e adia até mesmo a quimioterapia, ele está dando margem para o câncer progredir e perde a chance de curabilidade”, esclarece Mello.

Fonte: Redação Folha Vitória

Back To Top