skip to Main Content
Prevenção é A Principal Forma De Evitar O Câncer

Prevenção é a principal forma de evitar o câncer

De 80 a 90% dos casos de câncer no Brasil poderiam ser prevenidos se os fatores de risco para essa doença fossem evitados

Por Natália Mancini

De acordo com dados do Instituto Nacional de Câncer (Inca), são estimados 625 mil novos casos de câncer para 2020. Isso significa um aumento de cerca de 40 mil casos em relação a 2019. O Dia Mundial de Combate ao Câncer (04/02) lembra que prevenção é a melhor forma de evitar o surgimento da doença. Pensando nisso, a Abrale criou a ação Vá de Lenço.

O câncer aparece pela junção da disposição genética com a exposição aos fatores de risco. A disposição genética está ligada tanto à hereditariedade, ou seja, a capacidade da mutação genética que causa o tumor ser transmitido para a próxima geração, quanto ao envelhecimento das células. Quando um indivíduo envelhece, suas células também ficam mais velhas e sofrem mudanças. Nesse processo elas podem ficar mais suscetíveis a desenvolver um câncer.

Ao juntar essas questões genéticas com os fatores de risco, situações que fazem com que o risco para algo seja maior, explica-se o porquê das pessoas com mais idade serem mais atingidas pelo câncer.

“O aumento do número de casos de câncer se dá basicamente por dois fatores principais. Primeiramente, o envelhecimento populacional e, em segundo, o melhor controle de outras doenças. Por isso, o câncer é uma doença preferencialmente de pessoas mais velhas, embora possa acontecer em jovens”, explica o Dr. Felipe Ades, oncologista no Hospital Oswaldo Cruz.

A grande questão, entretanto, é que cada vez mais, pessoas com menor idade também estão sendo diagnosticadas. De acordo com um estudo feito pelo Observatório de Oncologia, entre 1997 e 2016 houve um aumento no diagnóstico de alguns tipos de cânceres em pessoas que têm de 20 a 49 anos.

“Cânceres como de cólon e reto, próstata e glândula tireoide tiveram um aumento significativo nessa faixa etária”, conta o Dr. Luiz Antonio Santini, ex-diretor geral do Inca.

Importância da prevenção

Atualmente, no Brasil, uma em cada seis pessoas morre devido ao câncer, de acordo com dados do Observatório de Oncologia. Ou seja, a cada seis mortes, uma é por essa doença.

Na genética, não há muito o que possa ser feito. Porém, felizmente, os casos de câncer causados exclusivamente por essa questão são raros.

Entretanto, o que pode (e deve) ser feito é a diminuição de exposição aos fatores de risco. Cerca de 80% a 90% dos casos poderiam ser evitados se alguns hábitos da rotina da população fossem mudados.

Para chamar a atenção das pessoas para a necessidade de evitar esses costumes, a Abrale realizou uma grande ação na Av. Paulista no Dia Mundial de Combate ao Câncer para a campanha #VáDeLenço.

Quem passava pelo local era convidado a entrar em uma cabine montada na frente do Shopping Top Center para descobrir o seu futuro. Entretanto, ao entrar, a pessoa percebia que não era um futuro qualquer. Era o futuro da saúde dela e de todos os brasileiros.

As pessoas respondiam perguntas relacionadas aos fatores de risco e descobriam se suas ações estavam levando-as para a doença ou se tinham hábitos saudáveis. Foram mais de 400 pessoas diretamente impactadas e conscientizadas pela ação física.

Além disso, a campanha Vá de Lenço mobilizou mais de 10 famosos nas redes sociais, dentre eles Carol Castro, Juliano Cazarré, Malvino Salvador e Adriane Galisteu. Eles foram convidados a postar uma foto nas suas redes sociais utilizando um lenço para lembrar a população do Dia Mundial de Combate ao Câncer, da importância da prevenção e homenagear aqueles que já enfrentaram ou enfrentam um câncer.

Como prevenir o câncer

Existem 12 “mandamentos” indicados pelo Inca de como ter uma vida mais saudável e evitar o câncer. O Dr. Ades considera que “por ordem, o hábito mais importante é não fumar. Depois, vem o tripé boa alimentação, prática de exercícios e manutenção de um bom peso”.

Não fumar.

Fumar aumenta em até 20 vezes a chance de a pessoa desenvolver câncer de pulmão. Além disso está ligado também ao câncer de laringe, faringe, cavidade oral, esôfago e contribui para os de bexiga, pâncreas, útero, rim, estômago e intestino e alguns tipos de leucemia.

Somente um cigarro por dia aumenta em 64% o risco de morte prematura, mas ao parar de fumar, dentro de 10 anos, a chance de desenvolver o câncer diminui em até 50%.

O mesmo vale para cigarros eletrônicos. Por mais que, antigamente, achava-se que eles eram menos nocivos, atualmente sabe-se que eles também são compostos por substâncias cancerígenas. Então não vale substituir um pelo outro.

Idem para o narguilé! Uma roda de 20 a 60 minutos inalando a fumaça equivale a fumar cerca de 100 cigarros.

Evitar o consumo de bebidas alcoólicas

Duas doses por dia, ao longo de 40 anos, aumentam em 54% a chance de desenvolver câncer de faringe, laringe, esôfago, estômago, fígado e intestino. Inclusive, o câncer de mama também está relacionado com esse hábito.

Evitar o consumo de carnes ultraprocessadas

Os conservantes presentes nesses alimentos e o modo como eles são processados podem provocar danos nas células da mucosa intestinal. Dessa forma, afeta seu DNA podendo causar um câncer.

Consumir 50g por dia de carne ultraprocessada aumenta 18% o risco de câncer colorretal. Isso equivale a duas fatias de bacon ou uma salsicha.

Outros exemplos de carnes processadas são: presunto, linguiça, salame, mortadela e peito e blanquet de peru.

Evitar exposição ao sol entre 10h e 16h

Evitar totalmente o Sol é impossível, e também não é recomendado. Entretanto, nesse intervalo entre 10h e 16h é quando o Sol está mais forte e ele é o grande vilão de todos os tipos de câncer de pele.

É importante sempre sair com protetor solar, chapéu e protetor labial.

Evite exposição a substâncias industriais

Agentes químicos, físicos e biológicos, como o benzeno, presente na gasolina, e agrotóxicos, estão relacionados ao desenvolvimento do câncer. Principalmente linfoma de Hodgkinleucemias e pulmão.

Comer alimentos saudáveis

Esse “mandamento” foca principalmente na questão de consumir vegetais, frutas e legumes, cereais etc. Especialmente os livre de agrotóxicos, já que essas substâncias podem causar, além da intoxicação aguda, alteração nas células levando ao câncer.

Fora isso, também recomenda-se evitar o consumo de fastfoods.

Manter um peso adequado

Essa é uma indicação razoavelmente nova, de acordo com o Dr. Ades. “As medidas para prevenção seguem as mesmas. Temos apenas mais ênfase agora na prevenção da obesidade, um fator de risco anteriormente não muito relacionado a câncer. ”

Praticar exercícios físicos

As atividades mais indicadas são as chamadas aeróbicas, que são movimentos contínuos, prolongados e rápidos. Por exemplo, corrida, dança ou até subir escada.

Além de ajudarem a controlar o peso, auxiliam na diminuição do colesterol e fortalece o sistema imunológico.

Vacine contra o HPV

O HPV é um vírus sexualmente transmissível que pode causar mutações genéticas nas células do local onde se hospedar. Ele está extremamente ligado aos cânceres de colo do útero, canal anal, pênis e orofaringe.

“A vacinação contra o HPV é fundamental na prevenção do câncer de colo uterino. Praticamente todos os casos são causados por este vírus”, diz o Dr. Ades. Dessa forma, meninas entre 9 e 4 anos e meninos entre 11 e 14, devem ser vacinados!

Vacine contra a hepatite B

O câncer de fígado está relacionado à infecção causada pelo vírus da hepatite B.

Assim como no caso do HPV, ao receber a vacina, a pessoa cria anticorpos contra aquele vírus e caso ela entre em contato com ele ao longo de sua vida, seu corpo já vai saber como combatê-los.

Amamente

As mulheres que amamentam podem reduzir de 20 a 25% as chances de terem um câncer de mama e também o de ovário. Isso acontece porque ao amamentar, há uma menor produção de estrógeno, ligado ao desenvolvimento do câncer de mama. Além dos hábitos saudáveis que as mães costumam aderir durante a amamentação, como alimentação e não beber.

Realizar exame preventivo

De acordo com o Dr. Ades, a mamografia deve ser realizada anualmente por mulheres acima de 45 anos e o preventivo de colo uterino a partir dos 25. Sendo que após dois ou três resultados negativos, o intervalo entre os exames deve ser de três anos.

A colonoscopia deve ser feita por homens e mulheres com mais de 45 anos e intervalo de cinco anos.

“Rastreamento para câncer de próstata ainda é controverso. Entretanto, se for feito deve iniciar a partir de 45 anos e feito a cada um ou dois anos. ”

Além disso, os exames dermatológicos, com periodicidade determinada pelo especialista, e tomografia helicoidal de baixa dose para fumantes de longa data a partir dos 55 anos também são indicados.

É possível prevenir os cânceres hematológicos?

Segundo o documento lançado pelo Inca com as estimativas do câncer para os anos de 2020, 2021 e 2022, ainda não é possível estabelecer uma ligação direta entre os fatores de risco e as leucemias.

Entretanto, existem algumas associações entre os fatores e alguns tipos específicos da leucemia. Por exemplo:

Leucemia mieloide aguda (LMA): tabagismo, benzeno, radiação ionizante, quimioterapia, síndrome de Down, síndrome mielodisplásica e outras desordens sanguíneas.

Leucemia mieloide crônica (LMC): benzeno.

Leucemia linfoide aguda (LLA): benzeno, radiação ionizante e quimioterapia.

A produção de borracha, histórico familiar, exposição a agrotóxicos, solventes e infecção por vírus da hepatite B ou C estão associadas a todos os tipos de leucemia.

Fonte: Revista Abrale Online

Back To Top