skip to Main Content
OMS Alerta Sobre Risco De Câncer Do Ovário Por Consumo De Gorduras Trans

OMS alerta sobre risco de câncer do ovário por consumo de gorduras trans

Doença é a oitava maior causa de morte de mulheres; somente em 2018, agência notificou 295 mil novos casos; ácidos graxos trans industriais são associados à obesidade e à inflamação

Os ácidos graxos trans, encontrados em alimentos industrializados e processados, podem estar associados ao maior risco de desenvolver câncer de ovário.

A informação da Agência Internacional de Pesquisa do Câncer, Iarc, e parceiros foi divulgada, nesta quinta-feira, pela revista especializada Cancer Epidemiology, Biomarkers & Prevention. A agência faz parte da Organização Mundial da Saúde, OMS.

Frituras

Segundo o estudo, a maior ingestão de ácidos graxos trans, como os encontrados em frituras, podem estar associados a um maior risco de desenvolver câncer de ovário.

Para chegar a esse resultado, os pesquisadores analisaram uma pesquisa de fatores de risco na qual isolaram 1.486 casos de câncer de ovário para investigar a associação entre ingestão individual de ácidos graxos e o risco de desenvolver a doença.

Os ácidos graxos trans industriais já eram conhecidos por causar obesidade e à inflamação. Condições de fatores de risco para o câncer de ovário. Daí, os pesquisadores creem que essa relação pode explicar, pelo menos em parte, a associação entre esses ácidos graxos e o tipo de câncer.

Em 2018, foi confirmado um total de 295.414 novos casos e 184.799 mortes em todo o mundo. O câncer do ovário é o oitavo mais comum e a oitava maior causa de morte de mulheres.

Prevenção

De acordo com a Iarc, devido ao aumento da incidência de câncer de ovário em todo o mundo “são urgentemente necessárias estratégias de prevenção”. Mas até o momento foram identificados poucos fatores que podem ser evitáveis.

Para o chefe da Seção de Nutrição e Metabolismo da Iarc, Marc Gunter, essas novas descobertas estão alinhadas com a recomendação da OMS de eliminar os ácidos graxos trans industriais dos alimentos.

O especialista defende que o novo estudo fornece novas evidências de que a redução no consumo de alimentos industrializados, incluindo a chamada fast food, poderia ajudar a baixar o risco de câncer de ovário e várias outras doenças crônicas. Entre elas estão outros tipos de câncer, relacionados ao maior consumo de ácidos graxos trans industriais.

 

Fonte: ONU News

 

 

Back To Top