skip to Main Content
A Atenção Oncológica Em Tempos De COVID-19

A atenção oncológica em tempos de COVID-19

O que as Secretarias Estaduais da Saúde estão fazendo para se adaptar

 

A atenção aos pacientes oncológicos, durante a pandemia da COVID-19, tem sido umas das maiores principais preocupações do Movimento Todos Juntos Contra o Câncer (TJCC). Frente às necessidades dos pacientes oncológicos, começamos a desenvolver ações de advocacy junto às Secretarias Estaduais da Saúde (SES), a fim de ressaltar a importância e garantir a realização de exames diagnósticos, continuidade do tratamento e fluxos ágeis de atendimento.

A maior parte dos tratamentos de câncer no país sofreu alterações durante a pandemia, mesmo com especialistas alertando que a doença é considerada emergencial e as medidas terapêuticas não devem ser interrompidas ou alteradas sem conversa com o médico. A pesquisa do Movimento TJCC ouviu pacientes, cuidadores e profissionais de 25 estados e Distrito Federal, de 8 de abril até 29 de junho.

Diante do cenário problemático, nossa equipe solicitou providências das SES, em relação aos itens:

  • Retirada de medicamento nas farmácias especiais em cada município, de forma a evitar o acúmulo de pessoas e visar a manutenção do tratamento.
  • Atualização dos pedidos de medicamentos, a fim de evitar que o paciente tenha que se submeter a idas ao hospital para retirada de receita e maior possibilidade de exposição ao vírus.
  • Dispensa de pacientes de seu trabalho, mesmo se tratando de atividades de maior necessidade, como no setor da saúde, visto que são pacientes oncológicos que podem apresentar um quadro mais complicado da doença.

 

A SES de Santa Catarina, em resposta ao ofício encaminhado, evidenciou que  corroboram com as preocupações do TJSC. Informaram que instituíram o Fluxo de Receitas e medicamentos e Dietas na COVID-19, além do Fluxo de Atendimento ao paciente suspeito de coronavírus.

Já a SES do Paraná, comunicou que reorganizaram os processos de trabalho nas farmácias, além da implementação, encaminharam nota informativa com as  ações complementares, orientadas pela SES e Ministério da Saúde, frente à pandemia.

A Secretaria do Espírito Santo relatou que está trabalhando para instituir medidas preventivas nas farmácias, ampliaram o tempo de validade das documentações (receitas de  medicamentos). Entraram em contato com CACONS e UNACONS, os quais garantiram que os pacientes oncológicos estão sendo assistidos.

No estado de Pernambuco, a SES alega que as Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde não distribuem medicamentos contra o câncer. O fornecimento é feito por hospitais credenciados e habilitados no SUS. Finalizaram dizendo que não distribuem medicamentos oncológicos nas farmácias de Pernambuco, tendo em vista que esta é uma responsabilidade dos CACONs e UNACONs.

A SES de São Paulo enviou um documento com as Estratégias nas Farmácias Estaduais para contenção de casos da doença pel novo coronavírus. O documento abordou os aspectos relacionados à higiene, limpeza, documentação, dispensação de medicamentos e gestão das farmácias estaduais. O documento garante a entrega domiciliar de medicamentos para os pacientes que estão no grupo de risco.

As demais Secretarias Estaduais de Saúde não responderam o documento.

Continuaremos a trabalhar por políticas públicas que ajudem a todos os pacientes, afinal o câncer não espera.

Back To Top