skip to Main Content
Câncer De Próstata: Tudo O Que Você Precisa Saber!

Câncer de próstata: tudo o que você precisa saber!

Você certamente conhece alguém que recebeu o diagnóstico de câncer de próstata. E isso não é uma coincidência. Ocorre que, depois do câncer de pele, este é o tipo da doença mais comum entre os homens no Brasil, com cerca de 65 mil novos casos a cada ano.

Ainda assim, muitas pessoas não conhecem bem a doença e suas causas. Justamente por esta razão, campanhas como o Novembro Azul se empenham em divulgar informações e conscientizar a população masculina sobre a importância da prevenção. Nós preparamos este artigo para mostrar tudo o que você precisa saber sobre o câncer de próstata, seu diagnóstico e tratamento. Siga com a gente.

O que é, exatamente, o Câncer de Próstata?

Essa doença é caracterizada pelo crescimento desordenado e acelerado de células tumorais na próstata. O tumor pode crescer de forma rápida, espalhando-se para outros órgãos e podendo levar ao óbito. A maioria, porém, cresce de forma tão lenta que não chega a dar sinais. Por esse motivo, os cuidados preventivos são fundamentais ao longo da vida.

A próstata — que tem a forma de uma maçã, é uma glândula pequena que está presente apenas no corpo masculino. Ela se localiza na parte baixa do abdômen, logo abaixo da bexiga e à frente do reto e é responsável por produzir parte do sêmen, metabolizar a testosterona e regular o fluxo urinário.

Quais os fatores de risco para o Câncer de Próstata?

É comum a afirmação de que o câncer de próstata é uma doença de idosos. Isso porque ela normalmente é identificada em idade avançada. As estatísticas do INCA (Instituto Nacional de Câncer) mostram que a idade superior a 50 anos é, sim, um fator de risco para a doença.

Além disso, há outros pontos de atenção que podem levar à maior probabilidade de desenvolver o câncer de próstata. Entre eles, os destaques são:

  • genética: homens com histórico familiar de câncer de próstata podem estar mais suscetíveis à doença quando o parentesco é direto;
  • obesidade: o excesso de gordura corporal aumenta o risco do câncer de próstata avançado, e
  • etnia: os homens negros são a maioria entre os diagnosticados com esse tipo de câncer

Ainda que sejam incertas, existem indicações de que a alimentação rica em gorduras e carnes vermelhas, o tabagismo e a ocorrência de inflamações na próstata ou de doenças sexualmente transmissíveis podem potencializar o risco do desenvolvimento do câncer de próstata.

É possível prevenir esse tipo de câncer?

Como ocorre nos demais tipos da doença, que têm causas multifatoriais, com o câncer de próstata não é diferente. Portanto, as formas de prevenir o surgimento do tumor passam pela adoção de um estilo de vida mais saudável e equilibrado, livre de vícios como o tabagismo e o consumo excessivo de álcool.

No entanto, como estamos falando de uma doença que se desenvolve lenta e silenciosamente, a melhor maneira de agir preventivamente é manter uma rotina regular de visitas ao urologista para exames de rastreamento. Conheça os exames que detectam o câncer de próstata:

Exame de PSA

Trata-se de um exame de sangue que mede o nível de PSA (antígeno prostático específico). A chance de ter câncer de próstata aumenta à medida que o nível de PSA aumenta.

No entanto, não existe um ponto de corte definido para afirmar com certeza se um homem tem (ou não) a doença. Em geral, quando o valor de PSA é igual ou superior a 3 ng/ml, são pedidos exames complementares, mas esse critério pode variar de acordo com o profissional e a avaliação clínica do paciente.

Exame de toque retal

Este exame é importante para determinar qualquer inchaço ou áreas endurecidas na próstata, que possam eventualmente ser um câncer. Como o tumor geralmente começa na parte posterior da glândula, às vezes, pode ser sentido durante o toque retal.

Apesar do preconceito e repulsa ao exame pelos homens, ele não é doloroso e dura apenas alguns segundos. Ele pode sugerir a possibilidade de câncer em homens com níveis normais de PSA. Por essa razão, precisa ser incluído no rastreamento do câncer de próstata.

Outros exames

Se o resultado inicial do PSA for anormal, é comum fazer outros tipos de exame para que o médico tenha mais precisão no diagnóstico de um possível câncer de próstata. Alguns dos testes que podem ser realizados incluem:

  1. exame de toque retal, se ainda não foi realizado;
  2. um ou mais dos tipos de PSA, como o índice de saúde prostática (PHI),4Kscore ou PSA livre e/ou
  3. exame de imagem da próstata, como a ressonância magnética ou o ultrassom transretal.

Como é o tratamento do Câncer de Próstata?

O tratamento do câncer de próstata varia de acordo com a localização e o estágio da doença. Portanto, nem sempre a cirurgia é necessária. Quando a doença é localizada — ou seja, só atingiu a próstata e não se espalhou para outros órgãos —, costuma-se fazer cirurgia e/ou radioterapia. Em alguns desses casos, pode ser proposta a observação vigilante no tumor.

Para doença localmente avançada, o indicado é combinar radioterapia ou cirurgia com tratamento hormonal. Já nos casos de metástase (quando o tumor se espalha para outras partes do corpo),o tratamento mais indicado é a terapia hormonal.

Como a escolha do tratamento mais adequado deve ser individualizada, de acordo com a avaliação médica, o Cirurgião Oncológico é um dos profissionais habilitados para o planejamento terapêutico e cirúrgico do câncer de próstata. Juntamente à sua equipe multidisciplinar, este especialista poderá definir qual a melhor, mais segura e eficaz conduta para cada paciente.

A Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica reúne especialistas do Brasil e do Mundo dedicados no Tratamento Cirúrgico do Câncer e sempre produz conteúdos para auxiliar na prevenção do câncer. Para manter-se atualizado, você pode nos acompanhar no site, no Instagram e no Facebook.

 

Fonte: Sociedade Brasileira de Cirurgia Oncológica – SBCO

 

Back To Top