skip to Main Content
Durante A Pandemia Os Tratamentos Onco-hematológicos Não Podem Ser Adiados, Alerta Especialista

Durante a pandemia os tratamentos onco-hematológicos não podem ser adiados, alerta especialista

Profissionais da Unidade de Hematologia e Transplante de Medula Óssea do Hospital permanecem com a assistência normalizada

O cenário de pandemia causado pelo covid-19 fez com que várias instituições de saúde revisassem fluxos e protocolos para minimizar a proliferação do vírus dentro de hospitais e entre a população. Houve ações de restrição de acompanhantes e visitantes, remarcação de consultas e cirurgias eletivas e a suspensão de procedimentos que podem aguardar em segurança. O objetivo é proteger os profissionais da saúde e os pacientes que passam por tratamentos e que estejam com a imunidade comprometida.

O médico hematologista e coordenador da Unidade de Transplante de Medula Óssea do IBCC Oncologia, Dr. Roberto Luiz da Silva, destaca que alguns tratamentos como os oncológicos e os onco-hematológicos, não podem ser adiados. “Adiar o tratamento e os procedimentos relacionados à essas doenças pode prejudicar sobremaneira o sucesso nos resultados dos desfechos clínicos”, ressalta.

Em recentes posicionamentos, tanto a Sociedade Brasileira de Oncologia Clínica (SBOC) quanto a Sociedade Brasileira de Transplante de Medula Óssea(SBTMO) reforçaram a necessidade de manutenção das quimioterapias, cirurgias, radioterapias, dentre outros procedimentos, a fim de dar continuidade ao tratamento do paciente, que na maioria das vezes, requer agilidade.

No IBCC Oncologia após a formação do Comitê de Enfrentamento do Coronavírus do Hospital, houve o entendimento de que seria essencial que se redobrasse os cuidados com a área de onco-hematologia.

“Por isso adaptamos as restrições para a realidade da especialidade para proteger o paciente que, naturalmente, já requer cuidados especiais. Quem passa pelo transplante de medula necessita de uma unidade com isolamento permanente, apartamentos com filtro de ar de alta eficiência e pressão positiva, a chamada HEPA que em inglês é descrita como High Efficiency Particulate Arrestance,  tecnologia usada na separação de partículas, profissionais treinados para manipular o paciente imunossuprimido grave de maneira segura, para proteger e prevenir que ele adquira infecções comuns de terceiros e com a pandemia redobramos esses cuidados”, complementa o médico.

Fonte: IBCC Oncologia

Back To Top